Capítulo XII

 

GRAVITÕES LOCALIZADOS!?

 

“A Natureza nada faz em vão.”

- Aristóteles -

 

 

     Ao enquadrarmos todas as Forças da Natureza numa equação comum, surge a seguinte interpretação:

 

Ffr0     =     Ff+   +   Fem-   +   Fg0

 

  n0     =      p+         e-                v0

    

      De onde se segue que, os Transmissores de Campo das Forças da Natureza são os seguintes:

 

 

       bosões    =   gluões  +  fotões   + neutrinos

 

    

     Tantos Gravitões à solta!!! Disfarçados de neutrinos …

 

     Só assim se encaixa tudo muito bem! E fica tudo tão organizado, tão simples e belo!

     A Teoria da Gravidade prevê a existência dos gravitões, com as suas interacções com a matéria bem definidas, como tal, estes gravitões deveriam ser representados por partículas estáveis, electricamente neutras, provavelmente com pouca ou sem massa nenhuma, e estar presentes em grande número e em grande quantidade, distribuídas quase que uniformemente por todo o Universo … e isto são exactamente as características dos neutrinos!

     O facto de existirem tantos neutrinos no Universo, não pode ser um acaso da Natureza. Qual é o papel dos neutrinos? Se virmos bem, até ao presente momento, ainda não atribuímos nenhum papel fundamental a estas partículas tão subtis e omnipresentes.

     O número destas partículas é realmente imenso, e é praticamente equivalente ou superior ao número de fotões do Universo e ambas viajam à velocidade da luz, que é a característica principal dos mediadores das interacções.

     Os neutrinos serão, muito provavelmente e simplesmente, a partícula mais abundante do Universo!

     Como é que uma partícula tão fundamental pode passar tão despercebida?!!

      Somos constantemente bombardeados por biliões de fotões e neutrinos, ou gravitões … como queiram. Estas são as partículas responsáveis por transmitirem aos nossos átomos a interacção electromagnética e a interacção gravitacional.

     A Natureza prima por simplificar as suas Leis!